o que eu gosto em certos filmes

a forma como a memória se desvanece, se diluiu até não restar quase nada. e como depois, quase sem darmos por isso, se vão acumulando fragmentos em volta das últimas ruínas. gosto desta espécie de musgo que cresce à volta do que sobrou da memória do filme, da forma como regressam algumas imagens agora já contaminadas com o pó da nossa própria vida.

1 comentário:

. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Arquivo